France 1924 / 1930
site
vila de Graulhet - Tarn
menu
França 1924 / 1930 - Obras executadas

Cidade de Graulhet 81300 Tarn - midi Pyrénées

Documentos Philippe e charles sajous - 1932
Documentos Yves Sajous Arquiteto - Apresentados por B Bodachar 1931
Documentos Yves Sajous Arquiteto


A escada em carvalho maciço, com seu corrimão robusto ornamentado de elegantes faces esculpida, conduz a um vasto piso. No vão da escada, um vitral imenso rodeado pela nogueira do hall, ilumina todo o interior de uma cor quente e dourada.


LA CONSTRUCTION MODERNE
Revista Semanal de Arquitetura
26 Abril 1931 - N°30 - 46° Ano
Documentos m Christ Sajous Clause

Revista "ARQUITETURA e URBANISMO" n° 1, janeiro/fevereiro de 1938, publicada Pelo Instituto de Arquitetos do Brasil. Documentos Jorge Rubies

Para edificar e decorar esta residência destinada a um grande industrial celibatario, os arquitetos adotaram o partido de construir o que os inspirava a região destinada a habitação « intensidade, vigor ». A simplicidade robusta de sua fachada é alegrada pela escolha judicosa dos materias; o vermelho escuro da telhas de ponta quadrada, a fachada ocre dourada avivada pelo verde cinza das marcenarias.

Uma nota elegante foi dada ao conjunto da obra com o terraço e o portico da entrada em marmore de Tavel. Duas portas de ferro batido "patinées" em ouro velho dão acesso ao hall. Na fachada norte que da no jardim, o terraço abre se em uma bela fonte décorativa cujo o tema principal é a cabeça de um fauno "divindade mitologica campestre, cabeluda com cornos" em bronze "patiné" em ouro, esta escultura é uma obra de Gabriel Rispal.

CONSTRUCÃO DECORACÃO MOBILIARIO

Arquitetos Henri Sajous e Charles Hébrard.

Desenhos ou maquetes de todos os moveis, ferros batidos, tapetes … inteiramente compostos por Sr Henri Sajous e Sr Charles Hébrard . A realização foi confiada a especialistas eminentes, entre os quais citaremos, Rhulmann e Brandt.

Hall de entrada - Uma modulação bem estudada nos conduz do marmore claro do piso ao revestimento das paredes em nogueira envernisada, cujos paineis verticais são calafetados com baguetes de latão dourado. Grandes poltronas maciça de couro e tapetes bege e cinza harmonizão com o piso. A luminaria é de vidro moldado e despolido de fabricação Lalique. As duas portas de vidro unem o hall, a sala de jantar "fumoir" e ao escritorio.

"Senso apurado da matéria, de suas possibilidades ou conveniência"

Sala de jantar e "fumoir".
A sala de jantar, bem ampla, é separada do "fumoir" por uma grade de ferro batido. As suas paredes sao revestidas com damasco de sêda cinzento-prateada e vermelha. O piso é de carvalho com um gracioso desenho em losangos, os tapetes são cinzentos com manchas vermelhas decorativas, a mesa é ampla em jacaranda perfumado do Rio, as cadeiras tem um perfil elegante e seus caixilhos são moveis e revestidos de damasco, nota se uma cristaleira, no fundo um grande espelho com uma "desserte" em ferro batido, e o lustre que é de fabricação Lalique.
  

Busto em bronze de Gabriel Rispal

"Fumoir" - grade de ferro batido "patiné" em ouro, mesinha em jacaranda, poltronas revestidas de Marroquim "pele de cabra" vermelha com os encostos em jacaranda, piso em carvalho, lareira em marmore "caroline", painel décorativo pintura de A Raynolt « fantasia alegorica ».

Escritorio - moveis em nogueira e veludos cinza, paredes revestidas com damasco de sêda verde, lareira em marmore "portor" (marmore preto com veios amarelos) emoldurada com nogueira.
Baixo relevo em bronze dourado de Gabriel Rispal "A alegoria da abundância  ".

Quartos de inverno e verão, paredes revestidas de damasco cinza, prata, com o desenho de malvas, tapetes de lã com ponto atado , colorido delicado sobre o fundo cinza dos tapetes, Cristo de gabriel Rispal, penteadeira em freixo dourado e tecido de seda com chamalote de hungria, cortina de cetim, banheiros.

A arte engenhosa e judiciosa desenvolvida pelos Srs sajous e hebrard , o esforço tenaz que eles realizaram mesmo nos detalhes segundarios, atingindo os limites das possibilidades decorativas, sem jamais se afastar dos dados racionais, uma obra perfeita, acabada, onde nada foi deixado ao acaso.

B.Bordachar

Ferragens,serralheiria artistica e utilitaria, marcenaria metalica, ferro batido